Irmandade Inquisidora

segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Os Decretos II

Sermão Aos Peixes

Aos levianos subordinados pelos malefícios das águas impuras, arremesso-vos sal para purificar a vossa alma penitente, enquanto se escaldam nas cinzas do nosso Senhor, tonificando a vossa pele descamada. Serão todos o sustento da nossa delícia, sem espinhas para evitar dificuldades. Não haverá absolvição divina nem compaixão humana, o vosso fado foi cantado pelos vossos próprios agravos. A Inquisição não se responsabiliza pelos vossos actos imorais.

Aos cardumes libertinos, a rede espera-vos com paciência sem que haja uma escapatória. A embarcação é a única via para a representação teatral e simbólica, que ruma lentamente para o tormento, todavia não haverá Parvos nem Cavaleiros. Serão todos acusados de obediência cega aos patrões hostis ao Nosso Guia; Patrões vestidos de sangue de Cristo, com os seus tão reluzentes chavelhos, vítimas da presunção e insolência do seus peitos cheios e encalvados. Esse aglomerado merece uma atenção peculiar: o efeito da vossa mortificação atingirá os recantos mais obscuros do nosso Universo, com o nosso encanto especial, as vossas bocas serão enchidas com a vossa existência, como pescadinhas de rabo na boca.

2 Comments:

Enviar um comentário

<< Home


 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 2.5 Portugal License.