Irmandade Inquisidora

sábado, outubro 08, 2005

Proémio

A minha vida é um reflexo de traumas e de contusões psicológicas, desde que nasci até o presente. Passo a sintetizar a minha biografia.

À nascença fui sodomizado pela parteira, desde desse mal fadado dia deixei de ter aquele olhar inocente que tantos virgens têm.
Aos cinco anos a minha mãe fugiu com uma Francesa e o meu pai fugiu com um Australiano. Fui deixado órfão e despido à porta da Igreja do Padre Frederico. Fui imediatamente colhido pelo padre que se enlevou logo quando me viu. Mais tarde descobri que uma das freiras fora a minha parteira!
Passei a minha infância toda como vítima de escoriações e maus julgamentos sobre as minhas orientações sexuais. Por ser gordo, o peito realça-se mais, e o meu pénis encolhe-se quando estou despido. Sou másculo e sempre fui!
Nos meus doze anos, fui internado num colégio de freiras, ainda não estavam convencidos sobre a minha masculinidade. Quando atingi os 16 de idade, e por ter barba, inscreveram-me no circo como principal atractivo: "A Freira Barbuda".
Fugi para Itália, pois como lá os homens são exteriormente mariolas, poderia facilmente infiltrar-me na sociedade sem ser discriminado. Fui adoptado pelo Inquisidor que tinha sido expulso do Vaticano, supostamente por queimar prostitutas na praça de São Pedro. Ele ensinou-me as crenças religiosas baseadas no mais velho Testamento, escrito pelo Avô de Adão, pouco antes de morrer.
Passados alguns anos, depois de tantos exorcismos feitos a jovens mulheres esbeltas, através da introdução do abençoado Pau, que Deus nos enviou através do correio rápido, voltámos para Portugal para ocupar o Mosteiro da Ordem Que Nos Ordena em Sintra, onde até hoje tenho servido Deus com afinco na Irmandade Inquisidora. Esperamos renascer o Auto da Fé, que tanto brilhava através do seu esplendor avermelhado e que tanto fedor espalhava no centro do Terreiro do Paço no século XVIII.
Temos esperança em queimar os Infiéis que infestam a nossa sociedade, mas por ordem do Papa e do governo civil Português não estamos autorizados a tais procedimentos. Até que Deus prevaleça a nossa Ordem Inquisidora, estamos limitados a escrever sermões para este Blogue.
Tenham cuidado quando pecais, Deus Observa-vos e nós Castigamo-vos, Amém †

2 Comments:

  • Oh meu caro irmao k saudade k tenho de vos qd ainda eramos umas inuteis crianças que vaguiavamos pelos jardins la do convento de freiras ai k saudades IRMAO pena que ao londo dos anos tenhas perdido essa tua pureza tornaste te num menino rebelde sem principios, vejo que o k escreves sao meros desabafos de um pobre ser humano que em tempos sofreu varios massacres....bem vou indo irmao deus esteja conosco Amém †

    By Anonymous Anónimo, at 08 outubro, 2005 21:15  

  • «...desde desse mal fadado dia deixei de ter aquele olhar inocente que tantos virgens têm.»

    O meu desejo é que o tantra resolva isso... isso e tudo o que houver para resolver, desde que não afecte a inspiração do Irmão Público.
    Vão aproveitando e queimando umas vestais que eu aposto que elas agradecem... afinal, já estão habituadas a manter o fogo ;)

    **

    By Anonymous MataHari, at 31 outubro, 2005 14:43  

Enviar um comentário

<< Home


 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 2.5 Portugal License.